25.11.08

John Lennon perdoado pelo Vaticano

Agora a gente sabe ao certo o que é que o Papa e sua corja fazem da vida. Além de viverem no luxo, atrasarem a ciência com seu moralismo e provavelmente se masturbarem muito, eles se reúnem pra discutir as coisas mais inúteis do mundo em nome de Deus. Eu não sei se sou só eu que pensa assim, mas o John Lennon está morto há mais de 20 anos, eu acho que ele não vai ligar muito pra essa decisão. Se ele estivesse vivo também não ligaria.

De repente eu parei pra pensar nesse assunto mais a fundo, e resolvi fazer uma pergunta admitindo a lógica de todo o catolicismo. Qual a relevância de se perdoar o John Lennon agora? Porque, se ele por acaso foi pro inferno porque disse que era mais popular que Jesus, ele já está morto há muito tempo, que diferença vai fazer? Por acaso ele vai ser redimido do inferno? Isso não é possível segundo a igreja.

Sendo assim, podemos pensar que os castigos dos diabos serão mais brandos agora que ele foi perdoado? Acho que não, porque a hierarquia diabólica não respeita a Deus, nem depende de Deus. Se dependesse, acho que o inferno nem existiria pra começo de conversa, nessa ficção! Porque é uma afronta ao poder divino.

Então a pergunta que persiste é: qual é a utilidade disso se não um tipo de publicidade que nada tem a ver com espiritualismo católico?

Não existe utilidade! A igreja parece que precisa de uma forma de chamar atenção toda vez que sente-se ofuscada e esquecida nos tempos atuais, porque hoje em dia muitas pessoas usam a razão e descobrem que religião é uma perda de tempo.

Um comentário:

M. F. S. Holloway disse...

Donde conclui-se que, para o catolicismo, os pecados também prescrevem passado certo tempo.

Belo texto, cara.

E viva o John.