21.1.09

Olhares

É notável a presença do rato em cima dos livros: ele é grande, robusto, cinza e fedorento. O gato, oculto em sombras, observa sua presa com seus olhos vis e brilhantes. Um homem chega, puxa a cadeira e se senta diante do animal cinzento e dos livros. O roedor, assustado, foge; o predador, decepcionado, vai embora; o recém-chegado, entediado, apanha um livro e lê. Logo mais, dorme. O dia amanhece e o cão observa o galo cantar.

Um comentário:

M. F. S. Holloway disse...

Tens razão.

Pior que ratos, só as traças. Se roessem só as figuras, ainda vá lá...

rsrsrsrs